sexta-feira, 24 de abril de 2009

O Jovem que era pra ser de Deus


Ele se destaca na igreja, bonito, sério, e tem tudo para arrebentar, mas não arrebenta, não faz a diferença, e sempre volta para a estaca zero. Ele diz que quer fazer a obra de Deus, diz que quer servir a Deus, mas quando você olha mas perto para o que ele tem feito com a sua juventude, fica difícil visualizá-lo no Altar.

O seu tempo é gasto com tudo, menos Deus. Acorda tarde, mal-humorado e desanimado. Quando tem que fazer uma escolha entre o videogame e ler a Bíblia, ele não pensa duas vezes – fica jogando até alguém gritar o seu nome. Aí já está chateado, cheio de violência nos olhos, não quer agradar ninguém. Se tranca no quarto e se revolta contra todos.Ele diz que ninguém o entende, que todos estão contra ele, mas ele não se torna para Deus, pois isso é coisa de se fazer na Igreja, aos olhos do pastor. Quando tem um dinheirinho, gasta todo e nunca pensa em ofertá-lo. As oportunidades lançadas pelo diabo são diversas: meninas que paqueram, música pervertida, filmes de cenas fortes, games de violência, pornografia na Internet, bailes, festas e tantos mais. As opções nunca acabam.

Por mais que ele saiba que é errado, ele sente prazer só de saber que ninguém sabe, ninguém nem desconfia... à vista dos seus pais e do pastor, ele é um bom rapaz, à vista de Deus, um ser perdido.Como ajudar um jovem que praticamente nasceu na Igreja, sabe o que é errado, mas sempre corre para o abraço com o diabo quando tem que fazer uma escolha?

O mundo tem criado esse jovem e os pais têm deixado por causa das emoções. "Tadinho, ele não tem ninguém, ele não sai para nada..." E aí, toma um iPod, toma um computador "para estudar", toma uma ajudinha, toma um videogame que todo mundo tem, toma, toma e toma. E o diabo agradece.A primeira coisa a fazer é tirar as regalias! Tire a televisão do quarto dele, venda o videogame, o computador e o iPod. Coloque uma senha na Internet, não dê mais dinheiro nas mãos dele e deixe-o saber que você sabe quem ele tem sido. Se é para ele ser de Deus, ele não poderá ter o que todos os outros jovens nesse mundo têm, senão, como é que ele vai se tornar para Deus? Se o pai e a mãe não tiveram na infância o que podem dar para o filho hoje – pense nisso – o que os pais não tiveram os ajudou a chegar a Deus, então por que fazer diferente com o filho?Só Deus poderá fazer o resto. Confie nEle.

Na fé, Cristiane Cardozo

Um comentário:

  1. muito bom ,amei mesmo vamos lá DETERMINADOS vamos fazer a diferença

    ResponderExcluir